sábado, 22 de novembro de 2008

Café da Moda

Sexta-feira, após o feriado de Zumbi, fui com mais dois amigos ao Café da Moda. Este restaurante fica dentro da loja Folic do Centro do Rio, e dificilmente alguém que não o conhece sabe que, no seu interior, há um restaurante. Embora muito camuflado, já havia escutado bons comentários.

O melhor desse restaurante é que ele também é bem perto de qualquer escritório do Centro do Rio - o que faz com que haja certa espera nos dias de maior movimentação. Mas, como sexta-feira após feriado é quase um dia morto, pudemos pegar rápido uma mesinha, após ver algumas roupas femininas expostas no primeiro andar.

Infelizmente, vivenciamos experiências não muito positivas. Eu e meu amigo S.M. pedimos uma bavette (fraldinha) com molho de gorgonzola e batata wedges - que nada mais é do que uma batata dourada rústica, temperada com ervas desidratadas (me pareceram ser salsa, tomilho e alecrim) e sal grosso. Acompanhava também uma salada ceasar. A senhora B. pediu um prato muito parecido, no qual, em vez de ter a bavette, havia um frango com um molho com gosto de molho barbecue do McDonalds.



Pedi uma taça de vinho de nome que não lembro, mas feito da uva carménère. Mas, antes de pedi-lo, perguntei ao garçom se existia outra opção de vinho em taça, mas ele me informou que o vinho em taça da casa era somente aquele que estava no cardápio.

Veio o vinho e logo depois os pratos. O vinho não era de boa qualidade - parecia estar aguado. Já o prato escolhido, eu faço as seguintes críticas:

- O molho muito espesso parecia não ter diluído de forma adequada o gorgonzola. Dessa forma, o molho se apresentava com uma aparência meio esverdeada, devido à concentração dos fungos do próprio queijo. Acredito que se o queijo tivesse sido misturado adequadamente a sua base, o molho estaria em uma consistência melhor e também com uma apresentação mais apetitosa;

- A batata, se tivesse sido temperada com ervas frescas em vez de ervas desidratadas, poderia ter sido aproveitada de forma melhor e ser considerada uma batata mediterrânea. Na minha opinião, a batata podia ter sido assada apenas com o alecrim/tomilho e após serem adicionadas as outras ervas frescas;

- Por último, acredito que os croutons da salada ceasar estavam bem duros.

No meio do almoço, a senhora B. me pediu para provar o frango dela, pois, segundo ela, o frango estava com gosto de "pena". Provei-o, mas nao diria que o frango estava com gosto de "pena", até porque, que eu saiba, eu nunca comi "pena". Mas realmente me parecia que o frango tinha sido servido mal passado ou coisa parecida. Não saberia definir bem o porquê, mas realmente estava estranho.

Por fim, a redenção: foram servidos biscoitos e bolinhos bem gostosos com o café.

Para minha surpresa, na conta, o meu vinho foi computado como "Taça Cabernet Sauvignon", com um preço 50% mais caro que o do cardápio. Comentei com o garçom que logo trocou a conta. Mas me chamou atenção o fato de no início eu ter perguntado a ele se o único vinho em taça que a casa servia era o carmenère e ele me disse que sim. Mas pelo visto ele não estava muito certo...

Aliás, ele não parecia muito certo: por diversas vezes ele passava pela nossa mesa gargalhando sozinho. Mas o que chamou mais a atenção de todos nós foi, após termos escolhido os pratos e voltarmos a conversar, ele nos interromper afoitamente para esclarecer que o "banheiro feminino não ficava no andar de meio e sim no andar de baixo". Respondi com um simples: "curioso!".

Pensei logo que a senhora B. fosse ter problemas durante a refeição, mas graças a Deus isto não ocorreu - ao menos que eu saiba.

No tocante às críticas descritas aqui, gostaria de ressaltar que acredito que elas são válidas de acordo com a proposta do restaurante e também em função do preço que eles cobram. Concordo que o ambiente lá é agradável e imagino que é um lugar ótimo para almoçar e relaxar das neuras do Centro do Rio. Mas, justamente neste sentido e pelo preço que é cobrado, acho que o restaurante ainda tem muito que melhorar. Caso contrário, valerá comer por menos em um bom restaurante a quilo pelas redondezas.

Um beijo e um abraço.


Rua Gonçalves Dias, 49/3º Piso, Centro - Rio de Janeiro (Tel: 2222-0610).

2 comentários:

Fernando disse...

sensacional o gosto de "pena". Cuidado com frango mal-passado! uhuu

Fernando disse...

sensacional o gosto de "pena". E essa questao de frango mal passado e muito seria. Eu acho que esse restaurante nao e nada demais. Comi a fraldinha algumas vezes mas geralmente ela vinha dura.
uhu

Quem sou eu

Minha foto
Olá, sou carioca e um grande apreciador de um bom prato. Com este intuito, tentarei escrever as minhas impressões sobre os restaurantes em que eu vier a comer - descrevendo qualidades e defeitos de cada um. Caso tenha o interesse de complementar as minhas opiniões, por favor, não deixe de contribuir. Restaurantes bons devem ser vangloriados, enquanto restaurantes ruins devem ser evitados. Não concorda? Então, vamos lá... Mãos ao garfo!